Case Studies
Search

Case Studies

No Brasil

Segundo dados do SEBRAE o setor tem mais de dois milhões de empresas e gera R$ 110 bilhões equivalente a 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB) total produzido no país. A cifra chega a R$ 735 bilhões, se considerada a produção de toda a cadeia, equivalendo a 18% do PIB nacional em 2015.[10] No perído de 1997 a 2014, o BNDES investiu R$ 3,18 bilhões no setor de economia criativa através do Departamento de Economia da Cultura do banco[11].


Um dos principais empreendimentos do setor no país é o Porto Digital em Recife que criou um ambiente de negócios orientado para o mercado global. Fundado em 2000, o projeto nasceu com três empresas e 46 pessoas. Em 2014 eram 230 companhias e 7 000 funcionários incluindo multina­cionais como Microsoft, IBM e Accenture. No mesmo ano a Fiat Chrysler Automobiles anunciou a instalação de um centro de tecnologia automotiva que terá um investimentos de 500 milhões de reais e empregará 1 000 pessoas, entre engenheiros, técnicos e outros profissionais.[12]


Em agosto de 2016 foi inaugurada na Vila Madalena em São Paulo a Escola Britânica de Artes Criativas (Ebac)[13]. A instituição tem como proposta preparar profissionais para atuarem no mercado da Economia Criativa com enfase em design, arte digital, animação e arquitetura[14]. O prédio da instituição é um projeto do arquiteto paulistano Isay Weinfeld. [15]

As indústrias culturais e criativas, que incluem artes e artesanato, publicidade, design, entretenimento, arquitetura, livros, mídia e software, tornaram-se uma força vital na aceleração do desenvolvimento humano. 
Eles capacitam as pessoas a se apropriarem de seu próprio desenvolvimento e estimulam a inovação que pode impulsionar o crescimento sustentável inclusivo. 
Se bem nutrida, a economia criativa pode ser uma fonte de transformação econômica estrutural, progresso socioeconômico, criação de empregos e inovação, contribuindo para a inclusão social e o desenvolvimento humano sustentável.

No entanto, as indústrias criativas tornaram-se um colaborador cada vez mais importante para o crescimento do PIB. Os dados mostram, nos últimos 15 anos, que a economia criativa não é apenas um dos setores que mais crescem na economia mundial, mas também é transformadora na geração de renda, emprego e exportação. 
Segundo as estimativas da UNESCO, em 2013 a CCI gerou US $ 2,3 bilhões (3% do PIB mundial) e 29,5 milhões de empregos (1% da população ativa do mundo). Um estudo da Oxford Economics estimou que o CCI representa mais de 10% do PIB no Brasil e nos Estados Unidos. 
O comércio mundial de bens e serviços criativos também está aumentando rapidamente. A globalização e as novas tecnologias aceleraram as interações culturais entre os países, e a exportação de bens criativos cresceu a uma taxa de cerca de 12% ao ano nos países em desenvolvimento nos últimos 15 anos.
Desenvolver habilidades e capacidade de empreendedores criativos em algumas das comunidades mais vulneráveis ​​do Brasil
Para nutrir e criar redes criativas
Desenvolver uma infra-estrutura de consultores criativos especializados treinados em cinco estados onde os programas ocorreram.



FELLICIA

empoderamento através de identidade local, habilidade de gerações passadas, uso sustentável, de matérias primas naturais brasileiras, e design contemporâneo.


Fellicia foi criada em 2011 para comercializar produtos de Design para Inovação Social, originados do projeto de desenvolvimento sustentável implementado no nordeste do Brasil - no município de Santa Luzia do Itanhy, região de Sergipe - chamado Cultura em Foco. Esse projeto foi elaborado, coordenado e executado pelo IPTI, além de ser apoiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID. O objetivo é promover a inclusão social e econômica da população de baixa renda através de um modelo baseado nos princípios de Economia Criativa, com estratégia de criar produtos de design contemporâneo com técnicas artesanais, inserindo a identidade local própria de cada comunidade beneficiada.

http://www.fellicia.com.br/catalogo-pt.pdf


Os aspectos mais importantes por trás da Fellicia são:

profissionalismo, autonomia e empoderamento dos diversos artesãos do nordeste do Brasil;

criação de produtos de maneira sustentável, com alto valor agregado, que utiliza técnicas tradicionais, se enquadrando em uma vertente do design brasileiro contemporâneo;

consolidação de uma associação que está produzindo artesanato de design contemporâneo em comunidades com baixo Índice de Desenvolvimento Humano - IDH;

criação de um modelo de negócios inovador que opera através da relação entre sustentabilidade e inovação, estruturada em três pilares: pesquisa e inovação, produção e comercialização de produtos. Neste modelo, essas habilidades são realizadas através de uma parceria entre a Instituição de Pesquisa Tecnologia e Inovação (IPTI), a associação (Associação dos Artesãos de Santa Luzia Itanhy) e uma empresa

de comércio (Fellicia), onde cada uma das partes contribui para a construção e consolidação de um modelo de desenvolvimento verdadeiramente sustentável.


IPTI

O Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação – IPTI – é uma instituição de arte, ciência e tecnologia, sem fins lucrativos, que busca gerar inovações capazes de promover o desenvolvimento humano, a partir da criação de tecnologias sociais nas áreas de educação básica, educação empreendedora e saúde básica.

O IPTI começou a dar seus primeiros passos em outubro de 2003, na cidade de São Paulo. Em 2009, a organização decide mudar sua sede para Santa Luzia do Itanhy, sul de Sergipe, um dos municípios com menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil, para junto com a comunidade local gerar soluções que sejam eficazes em contextos de extrema vulnerabilidade e que tenham potencial de escala.

Ou seja, tudo acontece a partir de Santa Luzia do Itanhy. Depois de criadas, geradas e sistematizadas, as tecnologias sociais desenvolvidas naquela região estão prontas para re-aplicação em qualquer parte do planeta

http://www.ipti.org.br/sobre/


PORTO DIGITAL

Porto Digital é fruto e referência nacional de uma ação coordenada entre governo, academia e empresas, conhecido como modelo "Triple Helix". Essa iniciativa propiciou o ambiente necessário para fazer com que o Porto Digital se transformasse num dos principais ambientes de inovação do País. 

Atualmente, o Porto Digital abriga 300 empresas, organizações de fomento e órgãos de Governo e cerca de 9.000 trabalhadores. Desde o final de 2014, o parque também opera nas cidades de Caruaru, localizada no Agreste Estado. O Porto Digital foi considerado pela Associação Nacional de Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), em 2007, 2011 e 2015, o melhor parque tecnológico do Brasil.

included are as follows:


International

• The Human Project: Creative Economy as a strategy for human development I I

PTI

• Creative Brno I Czech Republic •

CREATIVE CENTRE PROJECT, REPUBLICA TCHECA

Creative Centre Brno is a working title for an up-coming centre which will support creative activity in the city. The project is part of Regional Innovation Strategy 4 in South Moravia and the Conception of the economic development of the City of Brno.

In the Creative Centre there will be incubators for startups in creative industries, part of the vision is to have rented studios, rehearsal spaces and workshops. The aim of the project is to empower the creative potential of talented people and limit their exodus from Brno. The centre could attract a new type of investor to the city, one connected with the creative industries.

As a suitable location for the location of the centre, a former prison has been selected between the streets of Cejl, Soudni and Bratislavska. The creative centre can open up and attract the wider public to a less well visited part of town, which has been a problematic zone for inclusion in the integrated plan for the development of the city.

centro próximo que oferece suporte a atividades criativas na cidade. O projeto faz parte da Estratégia Regional de Inovação 4 na Morávia do Sul e da concepção do desenvolvimento econômico da cidade de Brno.

No Centro Criativo, haverá incubadoras para startups nas indústrias criativas, parte da visão é alugar estúdios, espaços de ensaio e oficinas. O objetivo do projeto é aumentar o potencial criativo de pessoas talentosas e limitar o êxodo de Brno, o centro poderia atrair um novo tipo de investidor para a cidade, relacionado às indústrias criativas.

Como local adequado para a localização do centro, a antiga prisão foi selecionada nas ruas de Cejl, Soudni e Bratislavska. O centro criativo pode abrir e atrair o público em geral para uma parte menos visitada da cidade, o que tem sido uma área problemática para inclusão no plano integrado de desenvolvimento da cidade.

Guimarães • Creative City


https://unctad.org/en/Docs/ditctab20103_en.pdf







• Galo da Madrugada



UK

• Fundação Casa Grande

I Memorial do Homem Kariri

* www.tfconsultancy.co.uk

The Brazilian Creative Economy

Programme I Portugal

• Creative Dundee

• MeWe 360

0 views